sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Pingos de luz




"No trato com as religiões, com as crenças dos outros seres humanos, devemos ter prudência, pois se nosso objetivo é mostrar as pessoas que lá estão presas que existe um outro caminho, não podemos simplesmente atacar a crença ou religião dessa pessoa. Quem vai se colocar em posição defensiva não é a instituição religiosa (enquanto entidade), mas sim, a crença naquela religião que existe internamente em quem nela acredita. Assim, o embate passará a ser pessoal, e não institucional, não levando a nenhum resultado efetivo, pelo simples fato de que a defesa de uma crença ou fé, só faz aumentar o poder desta crença ou fé naquele que a defende.   Para se transformar uma crença, é necessário que ela se transforme em descrença".
Jorge Antonio Oro - Florianópolis (SC)




















"Vi muitas pessoas anunciando que sua meta para este ano é encontrar a "felicidade". Há um equívoco conceitual, aqui. Meta é algo que pode ser medido. E como medir o nível de felicidade? Ela até pode ser um objetivo vago e difuso, mas, não pode ser Meta com 'M' maiúsculo. Felicidade não se mede, apenas se sente. A felicidade é feita de momentos! Como disse Guimarães Rosa, o grande escritor mineiro, "felicidade se encontra nas horinhas descuidadas".  Se eu me perguntar: "Será que sou feliz?", já não sou. 
Não há felicidade perene. Se você ficar um mês em estado de êxtase, portanto, super feliz, terá virado rotina e você vai querer outra coisa no lugar.
O segredo da felicidade é a novidade. Renovar sempre, não se acomodar na rotina, estar atento para o novo onde quer que ele se manifeste, abrir-se para o mundo, questionar-se permanentemente sobre as regras e usos comuns, enfim, viver cada dia como se ele fosse o último. Aqui e agora, eis a chave da felicidade.   Prazer e risco são inseparáveis. O contrário de amor não é ódio, mas, medo."
Laercio Do Arte - Florianópolis (SC)






"Seu dever é SER, e não ser isso ou ser aquilo. "Eu sou o que eu sou" resume toda a verdade. O método para se chegar ao SER é simples:  "fique em silêncio". O que significa o silêncio? Significa "destrua seu eu", pois qualquer forma de ego é causa de problemas para o SER. Só se pode ser o que se é. Todo mundo quer ser diferente. Tente não mudar só para atender expectativas alheias, se aceite e sinta uma vida maravilhosa surgir de dentro de você.".
Nato Alves - Florianópolis (SC)





3 comentários:

  1. Vou procurar. Agora estou passeando no seu blog. Vejo que produziu bastante nos últimos dias. Alguns poucos comentários para tanta coisa boa...
    Me encanta a inserção que fazes dos arquivos de músicas e lugares. Você garimpa verdadeiras pérolas. Parabéns por essa particularidade sua. Você é único nisto. Realmente muito além do que se espera na expectativa do leitor.

    Pensei em duas questões que são tão significativas na vida de cada um de nós... questões existencialistas...

    Crenças – religião
    Sobre as crenças, são realmente a massa modeladora da nossa realidade. O design do corpo físico é lançado como uma “ideia” a ser plasmada e preenchida gradativamente com o passar dos anos. De cada kit crença assimilado, parte da argamassa vai se incorporando e se tornando um sólido e grande conjunto de forma- pensamento. Somos isso: um pacotaço de forma- pensamento. Como num mosaico, ao se tirar uma pecinha, refazer uma crença, todo o resto se acomoda novamente e adquire outro padrão. A capacidade de rever nossas crenças nos permite reconstruir a cada dia o grande mosaico e torná-lo melhor, ou pior...
    Gosto de pensar em como somos de certa forma pura fantasia. Verdadeiros magos, construímos muito a partir do que temos como crenças, a favor ou contra nós. Choramos diante de um filme como se ele fosse a nossa realidade, mesmo sabendo que é ficção. E temos dificuldade de criar conscientemente o que nos faz bem e alimenta a pulsão de vida.

    Felicidade... momentos
    Se considerarmos que o propósito da vida é o prazer, seja de dar comida às galinhas, regar as plantas, lavar os pratos, tomar um belo vinho acompanhando um prato que se acha delicioso, fazer um passeio novo, beijar muito, fazer amor, comprar algo que se queria, enfim... creio que sempre que estamos na sintonia do prazer somos felizes.
    Será que apenas as coisas novas que rompem a mesmice trazem o sentido da felicidade? Nós, em nossos pêndulos contínuos de estados de espírito entre sombra e luz fazemos as coisas se tornarem mágicas ou mesmices. São elas que mudam ou somos nós? Quando estamos “mesmiços” até a beleza extasiante de um nascer do sol pode causar nostalgia, solidão... já quando estamos num estado mágico de extase natural, tudo se torna mais intenso e maravilhoso. Saimos da cama ao amanhecer, ficamos como que prostrados diante do nascer do sol, sem palavras para agradecer a imensidão dos sentidos que nos causam. A gratidão logo brota porque nos sentimos privilegiados.
    Renovar tem sentido de prazer, certamente. Vida que se refaz e reprocessa. A energia da renovação é intensa, tanto quanto a ansiedade que a move em nós. E alguns de nós, com um nível de ansiedade mais significativa, tem a capacidade de se renovar pelas novidades e assim se reabastecer de prazer.
    Um relacionamento tranquilo, terno e amigo, tem a característica do prazer da contemplação. Do toque, do abraço, do beijo, do estar junto, do sentir que o outro está. Não há ansiedade, há docilidade, gratidão, reflexões, evoluções do pensar e do sentir.
    Um relacionamento de renovação traz a ansiedade do novo, a paixão e o encantamento do novo... até que o novo se processe e seja visto com os olhos da tranquilidade. E muitas vezes, no olhar da tranquilidade, a imagem inicial já se desfez.
    Será que mesmice é falta de felicidade? Não sei o que é felicidade... não me atrevo.
    Este é um assunto muito polêmico... chiiiii.... são retalhos de verdade, nada definitivos, assim como nós...

    Suellen - Itajaí (SC)

    ResponderExcluir
  2. Nada a dizer! Simplesmente o que você escreve e o que acabei de ler me fez um bem danado! Amei as palavras, vídeos, mensagens...Me trouxe paz, esperança e o que é melhor, que bom que ainda existem pessoas lindas e de conteúdo. Nesse mundo do ser humano, nem tudo está perdido, ainda bem que nos deparamos ocasionalmente com pessoas como você!

    ResponderExcluir