sábado, 4 de março de 2017

TRANSFORMAR ÁGUA EM VINHO

“Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já o têm bebido,
serve-se o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.” João 2:10

Ali em Canaã, aos trinta anos de idade, Jesus fazia sua iniciação como Avatar da Era de Peixes, pré destinado a transformar os valores éticos e religiosos para os milênios que se seguiriam. 

Este foi o primeiro "milagre" de Jesus, o que para o cristianismo convencional tratou-se de um ato deliberado do Mestre, ao atender o pedido de sua mãe Maria, amiga dos donos da casa onde se celebrava um casamento na cidade de Canaã. Tendo acabado o vinho para servir aos convidados, Maria relata o fato a Jesus, o qual manda que lhe tragam baldes de água, por ele milagrosamente transformados em vinho da melhor qualidade. Para um pastor evangélico,  que li aqui mesmo na Web, o ato de Jesus executar este milagre logo no início de seu sacerdócio, tinha o objetivo de fazer com que o povo nele acreditasse. Teria sido, portanto, um espetáculo para angariar crentes. Já outro escritor religioso aponta o argumento de que, se Jesus consegue fazer coisas assim, imagine o que ele é capaz de fazer pela nossa "salvação", colocando propositalmente nas mãos de Jesus a responsabilidade pelo nosso futuro espiritual, algo tão comum no "cristianismo" instantâneo. Tem até quem defenda que o bom teria sido o milagre contrário, transformar vinho em água, afim de livrar aquela gente dos efeitos perversos do alcoolismo. Assim como há quem use o mesmo argumento para especular que a transformação poderia ter sido de água em suco de uva. Enfim, há explicações e teses para todos os gostos. 

No meu modo de ler a Bíblia, as coisas que aconteceram é o que menos importa. Os símbolos contidos nos "milagres" são variados, mas o principal deles sem dúvida é o da mudança de paradigmas. Assumidamente simbólico por todas as facções cristãs,  o vinho velho (que acabou) significa o "velho testamento", ou a lei antiga das tribos de Israel, agora convertidos em súditos de César, o imperador romano e seus decretos obrigatórios. É a lei do "olho por olho, dente por dente".  O vinho novo, transmutado por Jesus, é o "novo testamento", os valores e princípios do cristianismo, que deveriam liderar a nova era que se implementava aos poucos, a Era de Peixes. Este novo regulamento se baseava na lei do amor, principalmente em não fazer a ninguém aquilo que não se quisesse para si próprio. Era o valor ético mais avançado no mundo judaico-romano, o exercício de se colocar no lugar do outro antes de tomar uma decisão. Parece claro que esta proposta foi derrotada em nossa civilização... 

O vinho é a bebida mais antiga da humanidade e não tem nada a ver com o alcoolismo. Faz parte de um ritual sagrado. Jesus o usou para iniciar seu sacerdócio nas bodas de Canaã, assim como para encerrá-lo, na Santa Ceia, quando distribuiu a bebida entre seus discípulos, consolidando o culto do sacramento, até hoje existente em todas as igrejas cristãs.



JESUS, O AVATAR DA ERA DE PEIXES

Os atos de Jesus Cristo, entre o episódio da transformação de água em vinho, até a Santa Ceia final, não levaram mais do que três anos. Foi neste período que Jesus desempenhou o papel de Messias, o esperado salvador dos Judeus, mas que, na verdade veio como salvador de toda a humanidade. Não por que quisesse, mas por que esta era sua missão  divina, encomendada pelo Deus Absoluto, o Pai da santíssima trindade, que o mandou para a encarnação terrena como o Avatar de uma nova era, a de Peixes. Neste papel, o cristianismo correu o mundo inteiro nos últimos dois mil anos.   Jesus teria se decepcionado com sua missão, ao constatar na cruz que ele morreria e a humanidade continuaria no pecado, assim como pronunciado na frase bíblica "Pai, por que me abandonastes?" Esta visão de Jesus, ao ver as cenas do futuro do cristianismo, evidencia seu lado humano, tal qual foi constatado em todo o histórico de sua missão divina, enquanto incorporado em um corpo físico.  Mas, o cristianismo continua vivo em sua missão de "SALVAR" o ser humano. Alguns exageram, é verdade, e transformam esta missão em algo próximo do fanatismo. 

A TRANSFORMAÇÃO DE JESUS HUMANO NO CRISTO

A missão de salvar o ser humano é muito problemática. Mas, todos concordam que se trata de uma tentativa de melhoria nos aspectos físico, emocional, mental e espiritual. Jesus, o Cristo, fez esta passagem em si próprio num único ato, ao iniciar seu sacerdócio aos trinta anos de idade nas Bodas de Canaã. 
Conforme diz a Bíblia, "No princípio era o verbo e o verbo estava com deus; e o verbo era deus...". Só que, na verdade, a versão original em grego, encontrada em Éfeso neste século, inicia com outra palavra "No princípio era o Eu Superior ...", quer dizer, Jesus Cristo era tão perfeito em sua encarnação da Divindade, que ele já iniciou o seu sacerdócio humano com o Eu Superior completamente manifestado. Ele já tinha acesso automático ao Logos, o mundo da sexta dimensão, o mundo espiritual, algo que nós, seres humanos comuns ainda levaremos incontáveis encarnações para atingirmos. o "MILAGRE" da transformação nada mais foi do que a manifestação de seu "eu superior" divino, e a verdadeira boda foi entre o Jesus encarnado e o mestre da nova era cristã. Convenhamos, era muita responsabilidade !

O CAMINHO CRÍSTICO DE CADA UM

Transformar Água em Vinho está disponível para todos que queiram caminhar na senda dos Mestres espirituais, como foi Jesus.  Ao contrário do que as igrejas costumam pregar, esta atividade é exclusivamente interna de cada um.  Não depende do pagamento de dízimos, da fidelidade religiosa a um personagem, nem de nada de coisa nenhuma derivada do mundo material.
A evolução pessoal se dá a partir dos atributos de cada pessoa. Todos teríamos a tendência de nos mantermos presos em alguns aspectos de nossa personalidade. Mas, também temos a capacidade de evoluir e partirmos para um nível superior, mesmo que seja de forma intuitiva. Aqui, fazemos uma relação entre a influência dos chakras (centros de energia) e os seres humanos.

A EVOLUÇÃO SEGUNDO O CAMINHO DOS CHAKRAS

São sete os CHAKRAS principais, centros por onde circula nossa energia prânica, essencial para a manutenção da vida. As  características de cada um são observadas na evolução dos seres humanos. Dizem que Jesus, ao unificar seu corpo físico com a missão celestial a ele destinada, evoluiu direto para a quinta dimensão, a búdica, onde somente os seres ascencionados têm acesso. Não é o caso de seres comuns como nós, que precisamos galgar passo a passo o longo caminho da evolução.





PRIMEIRO CHAKRA: BÁSICO 
A pessoa que se encontra parada no primeiro chakra, localizado logo acima do órgão sexual, está preocupada unicamente com sua sobrevivência, que inclui a própria segurança e as necessidades físicas básicas, tais como comer, beber e dormir. Trata-se da sobrevivência pura e simples, como alguém preso num campo de concentração.

SEGUNDO CHAKRA: SEXUAL
Localizado na altura do umbigo, tem a função principal de atiçar os desejos, principalmente os de natureza sexual. Sua energia é um pouco mais sutil que a do primeiro chakra, mas ainda é muito pesada. Equivale ao mundo das paixões. A pessoa que se encontra presa neste nível, vive basicamente no corpo emocional e não consegue usar o pensamento racional. Algo como 80% dos seres humanos jamais passam deste nível. 

TERCEIRO CHAKRA: PLEXO SOLAR
Na altura do estômago, além da alimentação física, se nutre de informação. A pessoa fixa neste ponto, está principalmente estudando as coisas do mundo da vida e da pós morte. Não significa que esteja vivenciando aquilo que estuda. Já é muito mais elevada na consciência, mas ainda está presa no mundo das ideias, ou seja, no  corpo mental.

QUARTO CHAKRA: CARDÍACO
O quarto chakra é o da devoção. Alia a capacidade de amar com a capacidade de pensar, a quarta e a quinta dimensão, mas ainda no campo da Personalidade. Na tradição cristã, este chakra desenvolve o potencial para o amor altruísta, a caridade, que faz o bem sem olhar a quem;  e não está interessada em qualquer retorno pessoal.  O ser humano que chegou neste nível superou as necessidades do Ego. 

QUINTO CHAKRA: GARGANTA DAS TENTAÇÕES
O canal estreito para se atingir o nível da consciência superior. Localizado na garganta, o quinto chakra liga o amor com a consciência superior da sabedoria. Aqui se trava a grande batalha entre a obrigação e os desejos. A pessoa estacionada neste nível se desgasta permanentemente para afirmar sua evolução espiritual sobre as tentações físicas e egóicas. 

SEXTO CHAKRA:  INTUIÇÃO
Localizado entre as sobrancelhas, é chamado de "o terceiro olho". É basicamente associado ao mundo espiritual. As raras pessoas que conseguem chegar neste nível são dotadas de uma sabedoria inexplicável. 

SÉTIMO CHAKRA: CORONARIANO
Assim como a energia prânica entra pelo terceiro chakra, se diz que a Luz Divina penetra em nosso Ser pelo sétimo chacra. Mais nada nos é dado saber a respeito desse assunto. Mistério sagrado... 
   

Milton Nascimento era um completo desconhecido em 1970.
Seu sucesso com "Travessia", em 1967, no festival internacional de música do Rio de Janeiro,
 havia sido esquecido em função do esquentamento da questão política no Brasil, decorrente do radicalismo da ditadura militar. Outros compositores entraram em alta, mais politizados e menos românticos. Era a vez dos Geraldos Vandrés e dos Chicos Buarques. Milton se mostrou reservado e desenvolveu sua música mineiramente, misturando jazz, blues, músicas caipiras e bossa nova. 



Um comentário:

  1. Texto claro e elucidativo sobre tema edificante. Recomendo sua leitura.

    ResponderExcluir