sábado, 14 de abril de 2012

O melhor coral do planeta





A base da música ocidental, como a conhecemos hoje, foi consolidada no período Barroco,  que durou até o início do período Clássico, lá por 1700. A passagem de uma etapa à outra é bastante polêmica, mas, parece que a maioria dos especialistas defendem que este evento importante da história da música deu-se com o florescer da obra de Johann Sebastian Bach, considerado o primeiro clássico, embora muita gente o coloque na lista dos barrocos. Melhor dizer que com ele deu-se a transição. É autor de uma obra considerada básica, "O Cravo bem Temperado", composto com 24 peças entre prelúdios e fugas, onde ele cobre todo o quadro de tonalidades disponíveis. Ao longo da vida, Bach compôs mais de mil obras. Para se ter ideia da importância deste compositor, seu patrício Beethoven disse, em tom de piada séria, que ele deveria se chamar "oceano" e não "riacho", que é a tradução da palavra alemã bach.   . 



















A música de Bach vem sendo esmiuçada ao longo de mais de vinte anos pelo Coro Monteverdi, de Londres, considerado pela crítica como o melhor do mundo. Este coral rompe o paradigma do mundo da música, que é o de valorizar as orquestras. Quando uma determinada obra necessita vozes humanas, então a orquestra convoca um coro terceirizado para ajudá-la. Algumas sinfônicas e cameratas mais famosas possuem seu próprio coro, mas são raros, e, mesmo assim, tratam de deixar claro que os cantores não fazem parte da orquestra, tipo assim "Orquestra Sinfônica e seu coro".  Agora, com o Monteverdi Choir acontece o contrário. Quando ele se anuncia, as mídias de propaganda especificam "Coro Monteverdi e sua orquestra". Observem no primeiro vídeo que o coro está mais alto que a orquestra, de modo que o público pode vê-lo por inteiro, quando o usual no mundo muscal é o contrário. Bom para elevar a auto estima dos coralistas, não?  



O Monteverdi Choir consagrou-se cantando Bach

A experiência do Monteverdi é bem interessante. Primeiro, por que escolheram o nome de um compositor italiano, coisa rara em se tratando de britânicos, o que já demonstra sua visão global da música. Depois, pertence a uma universidade de grande prestígio na Inglaterra, o que lhe garante mão de obra farta e talentosa, além de apoio logístico e financeiro.   O coro principal vive viajando pelo mundo, por isso é enxuto o suficiente para buscar a excelência, senão a perfeição. No entanto, mantém programas de treinamento e vivências musicais abertas aos acadêmicos e à comunidade no entorno, como qualquer coral de universidade, inclusive as UDESC e UFSC daqui de Florianópolis.  Desse modo, o Monteverdi conta com capital intelectual e artístico imenso, formado por centenas de pessoas doidinhas para assumir o coro principal. Já pensou na grandiosidade da competição que se estabelece entre os candidatos?


Acompanhe o capítulo final de um especial da BBC sobre a obra de Bach, onde atua o nosso Monteverdi Choir. Felizmente, tem legendas em espanhol. 



Um comentário:

  1. Antonio Mbiavanga11 de junho de 2013 07:01

    A copanhei co muinto gosto, um grande trabalho cientifico do melhor coral do mundo...

    ResponderExcluir